Páginas

terça-feira, 30 de novembro de 2010


Príncipes ou Sapos?

Para vocês que tem por hábitos saírem por ai beijando sapos para que virem príncipes, por favor, aprenda que sapos nunca, mas nunca mesmo viraram príncipes. E no Maximo o que poderá acontecer com vocês é reinar em um brejo, com direito a moscas e coaxar, pedras e lama. Mas tem quem goste disso, e procura isso por toda uma vida. Conheço pessoas que já devem ter beijado uma saparia toda, só para ver se o tal príncipe apareceria. Tenho pena destas pessoas, vão continuar no brejo.
Já que você procura um príncipe, tenha certeza que ele nunca aparecerá no brejo. Príncipes freqüentam as altas rodas sociais, falam no mínimo três idiomas. Falam de vinhos, da ultima viagem que fizeram para algum país exótico.
Tem carro importado, e um brasão de no mínimo quatrocentos anos.
Apóiam as causas humanitárias de todas as Ongs e da ONU.
Mas se você se contenta apenas com um título, na verdade você precisa ser antes de qualquer coisa um caça dotes. E já vou logo avisando, títulos adquiridos no período de estudo, não é vírus, essas coisas não se pegam. Conquistam!
E nem adianta tentar, há não ser que o partido em questão apóie tal movimento de caça títulos. Enfim, titulo dinheiro e brasão não pega como uma virose. São conquistados e herdados.
Tenho pena de pessoas, que fazem a linha kátia cega, só para tirar proveito da situação, e engatar um romance futuro, apenas para se dar bem. Pessoas assim terminam sempre infelizes. E verdade seja dita: infelizes e totalmente sem nada.
Acho que já devem ter percebido o quanto gosto de falar sobre relacionamentos, e quem lê pensa que tive uma grande experiência, o que no qual é totalmente mentira. Meus relacionamentos sérios foram poucos, apenas três: os quais duraram muito, e quando falo duraram, é porque isso era no mínimo de três a quatro anos cada, e cada um na sua vez, sempre achei relacionamento complicado, ainda mais tendo que me dividir. Não saberia nunca fazer tal coisa. E o meu relacionamento mais curto, durou um dia. Se perguntarem o porquê acabou, nunca saberei explicar, até porque nunca fui atrás da resposta. (por pura falta de interesse em querer me desgastar, ainda mais). Os que duraram tempos, terminaram da mesma forma que começaram, eu terminei antes. Mesmo os relacionados me perguntando o porquê do acabar, eu sabia, acabavam porque eu gostava demais, e chega uma hora da vida, que sempre vamos ter que opinar, ou levamos uma vida para o outro ou com o outro. No meu caso sempre vivia para o outro e nunca com o outro. Aí o amor próprio acaba, e quando acaba é melhor começar a se amar e viver outra vida! Ou com um outro alguém ou então sozinho com seu apartamento novo, seus amigos, e seu cão. (se tiver filhos, melhor! Você terá mais tempo e dedicação exclusiva, os rebentos sempre agradecem).
Mas, você é do tipo que freqüenta academia, malha três horas por dia, sofre deliciosamente com um regime, apenas para ficar sempre bem e quem sabe, conseguir um dia assentar no trono e colocar a coroa que é sua por direito(afinal a sua vida era ter um reinado). Lembre-se: mesmo com cedro em punho, tendo aprendido três idiomas, ser lunático por causas humanitárias e ter aprendido a diferença entre os vinhos tinto e seco e que horas se deve tomar. Tem algumas coisas que precisa aprender.
Essa vida pode pagar todas as suas contas e te levar para os melhores lugares do mundo. Mas bem lá no fundo essa nunca vai ser a sua vida, e sim a do outro, e ai chega o melhor momento, sair e voltar para a saparia começando novamente a sua busca incessante, pelo seu príncipe.

3 comentários:

SORAYA.SENTIMENTOS.REFLEXAO.DESABAFOS disse...

AMIGO...PERFEITO!!!
BEIJAO
SORAYA

Mariele Cunha disse...

..virei sua fã !!!
Tbm tô cansada de ver "perereca" por aí querendo ser princesa !!!

Bjok, Mari

Luiz Carlos disse...

kkkkk.... chega o mundo é dos humanos.... nada de perecar por ai, e ficar no brejo....