Páginas

sábado, 11 de dezembro de 2010

Qual foi a sua criação?




Tirando o espetáculo do macho aquele dado pelos nossos pais e pela sociedade, todos entre homens e mulheres foram criados para serem a princesinha da vovó. Com direito a cachinhos dourados, príncipes encantados, morar em um palácio, e ter centenas de governantas e claro. Muito dinheiro!
Conversando com um amigo pelo facebook, comentei que eu fui muito bem criado, o criado da vovó, aquele que nasceu para ser dondoca, ter dinheiro e não ter que ralar tanto. No qual ele muito gentilmente me mandou acordar do sonho.
Adoraria ser Alice no País da maravilha, cair no buraco, mas sem o chá alucinógeno, de poder crescer e tudo mais. Ou então ser a Dorothy de O Mágico de Oz, mas sem aquela coisa de voltar pra fazenda da Tia Emily, sem voltar para casa em uma tissunami, alias voltar para fazenda fora de cogitação. Fazenda pode e deve ser maravilhosa, quando vamos apenas passar férias ou recordar o nosso tempo de criança , quando passávamos os dias e não preocupava com nada... Quando falo com nada é com nada mesmo. Conta pra pagar, impostos, eleição, presidente general ou rei. Ai vale a pena ir para uma fazenda. E na fazenda deve conter: Telefone, TV via cabo, pessoas e livros, um carro a disposição para quando bater aquele momento irritante do ser humano, que aquilo é e sempre foi um programa de índio. Ficar no meio do mato, respirando ar puro, cercado por verde, e tudo mais e resolver ajuntar a mala e voltar para o meio urbano. Como fui criado em uma cidade que nunca se definiu como meio urbano e rural, já deu pra notar, que meio rural, não me agrada, e isso é de hipótese alguma. Mesmo com quem a gente escolheu para amar. Este troço de um amor e uma cabana só se for em Bali e mesmo assim de férias.(ou lua de mel).
Como diria Pessoa: “O verde das arvores é velho, e as folhas murcham antes de aparecidas”... (não me recordo muito deste poema, mas acho que é mais ou menos isso).
Então, fazenda tia Emily nem pensar.
Mas ser o netinho da vovó é ótimo, lembro sempre da minha, e sempre com o mesmo carinho de quando era viva, posso ate hoje sentir o cheiro dela, como se ela estivesse do meu lado.alias das duas, tanto da minha avó paterna, como da minha avó materna.
Minha avó paterna era mais para pimenta. Para o salgado, divertida, desbocada e adorava todo mundo, menos os netos. (gosta dos netos, mas a preferência eram os filhos das vizinhas).
Já a minha avó materna era doce, e dos melhores doces mineiros, doce de laranja, doce de cidra, abóbora cristalizado, e o doce de figo que era um sonho. De comer rezando!
Mas tudo isso, sem precisar ir à fazenda ou tirar o leite da vaca pela madrugada.
Existe coisa melhor, que ser o netinho da vovó ou a “princesinha”? e ter todas as regalias e ser sempre bem criado e achar que mundo pode e deve ser o seu umbigo? Então, e você como foi criado?
Claro que para ser o melhor e ter o melhor, se deixassem as avós dominarem o mundo, seriamos muito mais felizes.

2 comentários:

SORAYA.SENTIMENTOS.REFLEXAO.DESABAFOS disse...

OLHA EU DE NOVO AQUI! ADORO LÊ-LO SEMPRE!
É ISSO AÍ, CONCORDO QUE SE O NOSSO MUNDO FOSSE COMANDADO POR NOSSAS AVÓS, TUDO SERIA PERFEITO, MENOS A NOSSA CINTURA, RS......
BEIJOS

Luiz Carlos disse...

e nestas horas a gente la quer preocupar com cintura..... so as avós poderiam deixar a gente um pouco mais pesados.... mas valeria a pena amiga.... te amo... e adoro seus comentrios... venha sempre!